Soledade

from by RuptürA

/
  • Streaming + Download

    Includes unlimited streaming via the free Bandcamp app, plus high-quality download in MP3, FLAC and more.

      $1 USD  or more

     

about

Todas letras por RuptürA

lyrics

Enquanto o rebanho usa antolhos
E em modorra seguem a diretriz
Atrevo-me á aguçar a visão
E sigo o vértice em soledade.

Escondo-me na alma
Pois o exterior
Não é digno de mim.
__________________________________________________

"Desde que a multidão, reduzida ao estado de imbecilidade, tem perdido o recurso de rebelar-se contra esse monopólio de um punhado de homens, está quase morta, e seu desaparecimento só é questão de um pouco de tempo. A peste negra chega para eliminar todo este inútil pulular de indivíduos sem liberdade." Élisée Reclus

" Nascem homens demais; para os supérfluos inventou-se o Estado!
Vede como ele atrai os supérfluos! Como os engole, como os mastiga e remastiga!
(...)
Inventou para o grande número uma morte que se preza de ser vida, uma servidão á medida do desejo de todos os pregadores da morte.
O Estado é onde todos bebem veneno, os bons e os maus; onde todos se perdem a si mesmos, os bons e os maus; onde o lento suicídio de todos se chama 'a vida'."
— Do Novo Ídolo - Assim Falou Zaratustra - Nietzsche

"Recordando uma ideia de Rousseau, o contrato social foi instaurado para assegurar a sobrevivência do individuo, más uma vez que a sociedade tem posto em perigo a sobrevivência do individuo, este deve renunciar ao contrato social."

"Povo" é o nome do corpo e "Estado" é o nome do espírito."
Aquele que derruba uma de suas BARREIRAS pode haver mostrado com isso aos demais o caminho e o procedimento a seguir; más o derrubar de suas BARREIRAS segue sendo a missão dos outros."
..."Libertar as pessoas não é me libertar"...
..."O Povo está morto"... MAX STIRNER.

"Os submissos, os mansos; os indiferentes, os sofridos, os resignados, são a massa, a multidão que com sua passividade, sua modorra e falta de caráter fazem lento e doloroso o avanço das sociedades humanas para a liberdade e a felicidade.
Quantas vezes o gênio pereceu, com as asas quebradas pelas resistências das massas! Assim são as massas, estúpidas; não caminham, e se alguém quer por-se a caminhar, lhe quebram as pernas; não voam, e se alguém quer voar, lhe fazem em pedaços as asas. Ricardo Flores Magón."

"Odio a este mundo lleno de insectos humanos y aquellos que juran que estos son seres humanos, mienten, la masa nunca ha sido de hombres si no solo de condenados, y desde cuando un autómata sonámbulo debe ser mi prójimo, si este debe ser mi prójimo yo digo que mi prójimo no existe, y mi deber es el de no parecerme en nada a él." Albert Caraco

Mais valeria dizer:
“Aquele que pensa passa pelo meio dos homens como por entre animais" F.Nietzsche

"No hay que ser masa, esto es, no hay que participar de los prejuicios, de las preocupaciones, de los errores, de las costumbres de las multitudes inconscientes. La masa tiene la firma creencia de que es necesario un jefe o un caudillo que esté a la cabeza, que la conduzca hacia su destino, que la lleve a la tiranía o a la libertad, la cuestión es que la guíe con caricias o salivazos, por la buena o por la mala.
Esta costumbre, tan arraigada en el ser humano, es fuente de inagotables males para la causa de la redención de la especie humana. La vida, la honra, el bienestar, el porvenir, la libertad, todo es puesto en las manos del hombre que la hace de jefe. Es el jefe el que tiene que pensar por todos, es el jefe el encargado del bienestar y la libertad de la masa en general y del individuo en particular; de lo que resulta que los millones de cerebros de la masa, no piensan, pues, que el jefe es el encargado de pensar por todos." Ricardo Flores Magon

"E enquanto a boa consciência se chama rebanho, só a má diz: Eu." Nietzsche

"Sentado à beira do caminho, observa com uma
infinita tristeza, com uma profunda piedade, a caravana negra que todos os dias se encaminha dócil e exausta para as fábricas – prisões que os engolem já exaustos e os devolvem pela noite como cadáveres." Severino Di Giovanni

Imagem: Une affiche du journal "L’En-dehors".

credits

from Exílio, released January 26, 2015

tags

license

all rights reserved

about

RuptürA SE, Brazil

contact / help

Contact RuptürA

Streaming and
Download help